A Toxoplasmose e suas consequências

gestante-gato-blog

 

Estudos realizados no Brasil recentemente constataram que a toxoplasmose na população em geral varia aproximadamente entre 40 e 80%, sendo que, as maiores preocupações estão voltadas às gestantes, devido à possibilidade de infecção congênita, que pode ser muitas vezes grave e até letal.

Portanto torna-se fundamental que o pré-natal tenha início no primeiro trimestre da gestação, pois possibilita a identificação precoce dos casos agudos de toxoplasmose gestacional. Ao se diagnosticar precocemente, o tratamento terá maiores chances de evitar ou reduzir sequelas para o recém-nascido. Para maiores informações vamos a alguns conhecimentos básicos:

A toxoplasmose é uma infecção causada por um parasita. Ela não é uma infecção grave para você, mas pode ser grave para o bebê no período gestacional.

A contaminação pode ocorrer quando ingerimos carnes cruas ou mal passadas e ao consumir frutas e hortaliças mal lavados ou de água contaminada, estas são as fontes mais comum de infecção por toxoplasmose, podendo ocorrer também, quando a gestante mantém contato com gatos domésticos, sendo estes animais os únicos que transmitem a toxoplasmose pelas fezes.

Com os devidos cuidados, a grávida não terá problemas em ter contato com um gato de estimação.

Quem já teve Toxoplasmose fica imune?

Sim, os sintomas da toxoplasmose são muito semelhantes aos de uma gripe, é muito provável que você já tenha tido a doença no passado e agora esteja imune.
Os exames de sangue de rotina durante a gravidez comprovam se a mulher está imune ou não, e quem nunca teve contato com a doença precisará tomar mais cuidados com a prevenção durante a gestação.

A toxoplasmose é perigosa?

Os sintomas em adultos costumam ser leves, podendo ocorrer gânglios inchados no pescoço, dores de cabeça, dores musculares, fadiga e sensação de gripe.

Os sintomas podem aparecer de duas a três semanas depois da exposição à infecção. No período gestacional os efeitos da toxoplasmose podem ser bem mais graves, principalmente para um bebê no útero, No entanto estes efeitos variam de acordo com o período da gravidez. Quanto mais cedo o bebê for infectado, piores os danos.

Uma infecção pode ter consequências graves como por exemplo um aborto espontâneo ou à morte do bebê no útero, além de poder provocar microcefalia, hidrocefalia (excesso de líquido no cérebro), problemas de visão ou em outros órgãos do bebê.

Bebês nascidos com toxoplasmose muitas vezes não apresentam problemas logo ao nascer, mas podem desenvolver sintomas com o passar do tempo, geralmente na visão, durante a infância e até na vida adulta, por isso é essencial que sejam acompanhados de perto.

Por este motivo se faz necessário o exame de sangue específico para detectar a toxoplasmose durante o pré-natal. Se no resultado não aparecerem anticorpos para a doença, então você não está imune, ou seja, ainda corre o risco de pegar. Para quem nunca teve contato com a toxoplasmose, o exame de sangue provavelmente será repetido para ter certeza de que não houve contaminação posterior.

Não se desespere diante de um resultado positivo antes de falar com o médico e esclarecer tudo, os médicos conseguem ter ideia se a infecção é antiga ou recente, e quando se faz necessário se utilizam de um outro exame de sangue, chamado teste de avidez, para fechar o diagnóstico.

Sendo o resultado positivo para uma infecção recente, você terá que tomar antibióticos por vários meses, o que reduzirá significativamente o risco de o bebê ser infectado.

O bebê poderá passar por um exame, através da coleta de uma amostra de sangue fetal tirada do cordão umbilical ou do próprio líquido amniótico, e também é possível realizar um teste após o parto, caso haja qualquer suspeita de infecção no bebê, ele será tratado com antibióticos.

Cuidados básicos que você deverá manter se não tem os anticorpos para a doença:

Cozinhe bem todas as carnes, já que o parasita pode ser encontrado em carnes cruas ou malpassadas. Lave bem as mãos depois de mexer em carnes cruas.

Lave bem frutas e verduras especialmente se vai consumi-las cruas. Não utilize a mesma tábua ou faca para cortar carnes e verduras.

Mantenha as carnes cruas congeladas por pelo menos três dias antes de consumi-las. O congelamento mata os transmissores da doença.

Se você tem um jardim, e gosta de mexer nele, use sempre luvas e depois lave bem as mãos, já que poderá haver contato com fezes de gato no solo.

Cuidado ao brincar em tanques de areia públicos e cubra o tanque de areia das crianças para impedir que gatos os usem para suas necessidades.

Tome cuidados extras caso você trabalhe com animais, evite brincar com filhotes de gato ou com gatos desconhecidos, procure não manter contato com cães de rua( cachorros não transmitem a doença, mas podem estar sujos com fezes de gato).

A caixa de areia deve ser completamente limpa todos os dias, porque o parasita necessita mais ou menos de 24 horas para se tornar contagioso, e não faça esta limpeza você mesmo, solicite a ajuda de outra pessoa, se não der para escapar da tarefa, use luvas, e lave bem as mãos depois.

Não dê alimentos crus para o gato e não permita que ele saia à rua, ele pode comer alimentos ou animais contaminados, e procure manter seu gato bem cuidado, vacinado e vermifugado, com visitas regulares ao veterinário.

Você pode conviver com o seu gatinho de estimação sem trazer problemas para o seu bebê, tendo as cautelas necessárias e não se esquecendo que além dos cuidados já citados, deverás manter a casa e cozinha sempre bem higienizadas, pois podemos trazer fragmentos de fezes de gato na sola do sapato.

Leia Mais