Episiotomia. Será que é realmente necessária?

blog-agestante

A Episiotomia é um corte realizado na região do períneo, entre a vagina e o ânus, para facilitar a saída do recém-nascido. A prática está criando polêmica e não é de hoje. Uns creem que é uma mutilação desnecessária e um desrespeito a mulher, porém muitos médicos e estudiosos da área afirmam que o procedimento é simples e em muitos casos necessário.

A realidade é que a prática não é um consenso entre médicos e muito menos entre pacientes.

A prática foi difundida pelo obstetra irlandês Fielding Ould, no século 18. Porém, apenas na década de 1950 a técnica se popularizou. Era de consenso geral que a técnica evitava tanto lesões desnecessária no períneo.

A pesquisa Nascer no Brasil, divulgou que mais da metade das entrevistadas, que tiveram parto normal, passaram por episiotomia.

Mas por qual motivo a técnica é tão rechaçada e polêmica?
A episiotomia é um procedimento cirúrgico que leva cerca de seis semana para cicatrizar. Se os pontos não forem bem feitos há risco de fibrose, dor, dificuldade de cicatrização e perda da sensibilidade na região e em casos graves laceração e frouxidão na região perineal e dificuldade na contenção de órgãos como o intestino.
Porém, se não for realizada a episiotomia e a saída do bebê causar rompimento extenso os danos são bem parecidos aos da incisão mal feita ou da cicatrização com problemas.

Mas quando que a Episiotomia é realmente indicada?
A técnica é geralmente aplicada em mulheres com rigidez no períneo, parto pélvico (bebê sentado), sofrimento fetal e macrossomia (excesso de peso do bebê)  e parto de prematuros. Juntos, estes casos somam apenas 10% dos partos normais.

Lembre-se que a informação é sempre o melhor caminho. Converse com seu médico antes do parto e saiba a opinião dele sobre a prática, aprenda exercícios que ajudam na elasticidade da região e informe-se para realizar um parto que agrade a mãe e não traga riscos para saúde do bebê.

Leia Mais

A resposta de uma mãe aos recados da escola na agenda do filho viraliza.

carta-mae-agestante3

Cada vez que a agenda do seu filho volta com ele da escola e há algum bilhete, você já se perguntou a quem e como ele é direcionado?
Pois foi isso que uma mãe questionou em sua resposta ao direcionamento da escola.

A mãe não achou justo que todos os recados que vinham na agenda do filho Jorge estivessem endereçados somente as mães e fez questão de responder solicitando uma mudança de atitude da escola em relação a isso.

O bilhete em questão solicitava que as crianças levassem frutas para preparar uma salada de frutas para comemorar a chegada do outono.
Kate deu a seguinte resposta para a escola: “Entendo que muitas vezes é a mãe quem se encarrega das tarefas domésticas e dos filhos, mas precisamos lembrar que “papais” também são responsáveis e que muitas crianças são criadas por outros membros da família, como avós, tios, tias, etc. Assim, seria uma maneira de não repetirmos esse discurso que só responsabiliza a mãe/mulher pelo cuidado com a casa e os filhos (as)”.

Confira:

carta-mae-agestante1

carta-mae-agestante2

Leia Mais

Os perigos da soneca no bebê conforto!

blog-agestante-loja-virtual

Estudo que investigou 47 mortes de bebês e crianças menores de 2 anos revelou que 52% dos óbitos foram causados por estrangulamento no cinto de segurança.

Uma das artimanhas mais utilizadas pelos pais para fazer os bebês dormirem pode ser um perigo. Os especialistas chegaram a conclusão de que mesmo sendo imprescindíveis para manter a segurança do seu filho quando o carro está em movimento, estes assentos não foram projetados para o sono dos bebês.

O objetivo do estudo é sinalizar aos pais a importância de que as cadeirinhas e o bebê conforto sejam utilizados apenas nos locais para os quais foram projetados, evitando o uso dentro de casa.

Como os assentos destes equipamentos são curvos, a criança pode ter uma asfixia posicional e quanto mais nova e menor for o bebê maior a chance disso acontecer, por isso a atenção é tão necessária.

Mas não esqueça,  as cadeirinhas de carro são obrigatórias e previnem óbitos em acidentes. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde há pesquisas extensas sobre o assunto, o uso das cadeirinhas diminuiu em 70% o número de mortes de crianças até 4 anos em caso de acidentes de trânsito.

Então a dica é: Nunca deixe o bebê tirar um cochilo no bebê conforto ou na cadeirinha após retirá-lo do carro. Os assentos são feitos e projetados para proteger o seu bebê em caso de acidentes de trânsito e só isso. Na hora da soneca, transfira o seu bebê para o berço ou superfície adequada para o sono.

Leia Mais

121

Cômoda: Todo o enxoval do bebê ao alcance da mão

O bom de usar a cômoda como apoio do trocador é que fica muito mais fácil trocar o bebê.

Nas gavetas de cima ficam as fraldas descartáveis e de pano.Se, na hora da troca sujar a roupinha,já está tudo ali também ao alcance da mão.

Na gaveta de baixo, ficam mantas, lençóis e o resto do enxoval.

No começo, como o bebê é pequeno, basta uma cômoda para acomodar todas as roupinhas de que ele precisa (algumas tem até cabideiro para os primeiros vestidinhos).

Com o tempo, ela pode perder o trocador e mudar de função, passando a abrigar brinquedos ou até mudar para outro ludar da casa – se até lá não chegar um irmãozinho.

É bom já pensar nisso na hora de escolher a sua.


Leia Mais