Foto de mãe mostrando a cicatriz da cesárea faz sucesso!

blog-a-gestante-mae-cesárea

No último dia 11 de agosto a fotografa Helen Carmina compartilhou em sua página no facebook uma foto com uma história emocionante.

A mãe, que preferiu permanecer anônima, solicitou que Helen, que havia acompanhado e registrado toda a gravidez, fizesse a foto acima, que mostra o bebê dormindo confortavelmente sobre as pernas da mãe e em evidencia está a cicatriz da cesárea, feita de emergência para salvar a vida do bebê.

Helen Carmina é especializada em fotografar mulheres grávidas e recém-nascidos e em sua página no facebook ela explicou a história desta mãe.

Helen disse que a sua cliente estava nervosa com a possibilidade de ter que realizar uma cesárea, pois sua vontade sempre foi fazer parto normal. Porém ao entrar em trabalho de parto, as coisas não saíram conforme ela havia planejado e a cesárea foi obrigatória para que tanto a mãe quanto o bebê saíssem com vida.

A foto foi tirada 3 dias após o parto e hoje ela possui 200.000 curtidas, 60.000 compartilhamentos e 28.000 comentários.

Helen atribuiu a seguinte legenda para a foto:
“Eu não esperava esta imagem fosse chegar tão longe. Eu fotografei esta gravidez há duas semanas e ela estava me dizendo como ela estava apavorada de ter que fazer uma cesárea. No fim de semana, ela entrou em trabalho de parto, mas teve que fazer uma cesárea de emergência depois de perder muito sangue. Ela me pediu para vir esta manhã e tirar esta foto em particular para registrar como seu pior pesadelo se tornou o que salvou sua vida e a de seu filho.”

Leia Mais

A saga de uma mulher para aceitar seu corpo após a maternidade!

São muitas as histórias de mulheres que buscam arduamente o chamado “corpo perfeito”, mas esse não é o caso da australiana Taryn Brumfitt.

10603995_426862000808077_8162657226008076781_oApós 3 gestações Taryn resolveu comparar o seu corpo de antes com o corpo atual. A imagem divulgada no facebook da australiana logo se tornou um sucesso, mas algumas pessoas criticaram Taryn ao dizerem que ela estava contribuindo para a epidemia da obesidade. Mas agora olhem a imagem abaixo e façam uma reflexão. Taryn é obesa? NÃO, Taryn está acima do peso, mas não é obesa, ela apenas não se encaixa nos padrões de beleza vigentes.

O objetivo de Taryn era desmitificar a teoria de que um corpo bonito é um corpo magro. Um tempo após o último parto Taryn pensou em fazer algumas cirurgias plásticas para remover a flacidez na barriga, mas a dúvida veio quando ela se questionou: “Como eu vou ensinar minha filha a amar seu corpo como ele é, se a sua mãe não pode fazer o mesmo?”, relevou ao jornal Huffington Post.

Dando seguimento ao que acredita, Taryn produziu o livro e o documentário EMBRACE, que tem como objetivo encorajar mulheres a abraçar o seu próprio corpo, sem vergonha.

taryn-corpo-apos-maternidade-blog-agestante

O emocionante documentário e o livro, foram produzidos através de doações de organizações, associações e mulheres, que assim como Taryn, travam uma luta diária para se orgulharem de suas conquistas e de seus corpos.

Assista ao trailer do documentário:

Leia Mais

Vídeo mostra a expectativa x realidade da criação dos filhos!

O canal do youtube Story of This Life é conhecido por produzir vídeos engraçados e verdadeiros sobre a saga da maternidade.

O vídeo “Quando nós formos pais” mostra a expectativa x realidade, quando o assunto é a criação dos filhos.

Impossível não se enxergar em algumas situações citadas no vídeo, que trata o assunto com bom humor e dá um tapa na realidade de toda família.

Afinal, quem nunca se pegou pensando “Meu bebê NUNCA fará tal coisa”. E é esse o trunfo do vídeo, que mostra situações para lá de engraçadas e totalmente verdadeiras que os pais passam, com alguma dramatização é claro!

Assista o vídeo:

Leia Mais

Recém-nascido morre devido ao descaso médico


Oi sou Evanilde Silva, tenho 18 anos estava grávida da minha primeira filha.
 Dia 25 de dezembro completei 40 semanas, procurei o hospital no dia 26 e a enfermeira perguntou se eu tava com dor “Eu não estava”, perguntou se eu estava sangrando “Eu não estava”. ela me mandou esperar ate o dia 3 se não tivesse minha filha eles iriam tirar no dia 4 de janeiro.
Dia 30 de dezembro, 7 horas da manha fui ao hospital com dor e sangramento, sendo que já estava com 41 semanas. Chegando lá a enfermeira me examinou e falou que já estava com dois dedos de dilatação, mas o Medico Paulo examinou novamente e falou que ainda não estava na hora de minha filha nascer, porque estava com pouca dilatação, mandou a enfermeira me dar buscopam para passar as dores e ir pra casa, se as dores voltassem, ai era pra eu voltar ao hospital.
Fui pra casa passei o dia dormindo dopada do remédio e sangrando. E então quando voltei para o hospital no mesmo dia 30 às 9 horas da noite, cheguei lá estava apenas com quatro dedos ainda de dilatação, mas estava sagrando, mesmo assim mandaram-me esperar porque eu iria ter minha filha de parto normal.

Fiquei com muitas dores fortes, não tive forças pra ter minha filha e minha bolsa não rompeu e quando não agüentei mais de dor comecei a entrar em desespero porque estava sagrando muito forte e minha bolsa não rompia. Quando veio uma enfermeira com muita ignorância e resolveu fazer meu parto não chamou em momento nenhum o medico de plantão. 

Não estava com força pra ter ela, a enfermeira veio com saliência me falar que quando eu estava fazendo minha filha eu não estava reclamando, ficou me humilhando, e então me deu uma injeção à força e começou a me corta toda, para forçar minha filha nascer. Ela gritava: “coloca força se não sua filha vai morre dentro de ti”. Peguei 15 pontos, teve outra enfermeira que sumiu encima de minha barriga pra empurrar, para ajuda minha filha nascer.

Depois de 30 minutos isso já 2 horas da madrugada do dia 31 de dezembro minha filha nasceu ela não chorou. Levarão ela pra dentro, quando voltaram ela estava roxa, a enfermeira falou que era a cor da minha filha isso já as 3 da madrugada.

Minha filha chorava muito cansada, quando as enfermeiras vieram era 9 horas da manda do dia 31, minha mãe que estava comigo falou que minha filha estava cansada, dai elas levarão ela pra UCI lá do hospital, ela passou o dia nos aparelhos, quando eles resolverão mandar ela pra outro hospital. Umas 8 horas da noite do dia 31 por que lá no hospital não tinha aparelhos pra ela ficar.
Quando colocarão-na numa ambulância, cheguei ao outro hospital de outra cidade às 9 horas da noite, quando foi 09h36min do dia 31 de dezembro minha filha morreu com falta de ar por que passou da hora de nascer.
Era uma menina linda pesou 3kg e 400g e 57 centímetros, perdi minha filha por irresponsabilidades de enfermeiras e medico. Pois tive uma gravidez ótima sem nenhuma complicação.
Morreu no parto normal “forçado” Emylle Emanuel silva de Moraes minha filha amada.
 Todos os dias choro, meu coração não é o mesmo. Foi a minha gravidez mais desejada, ela era minha felicidade e tiraram ela de mim. :(

Leia Mais

113

Recado para as Mamães

Ola quero dizer que adoro a página e queria deixar um recado para as Mamães….relatar aqui algo que a princípio me deixou triste mas depois me fez refletir e constatei que SIM …estou mais Mulher e mais bonita na gravidez , vamos ao relato ….
Descobri alguns dias que apesar de estar “relacionamento sério” no facebook do meu companheiro e das diversas fotos de gravida no face do mesmo uma pessoa de um falta de noção grande e com inveja da felicidade alheia mandou uma foto vestida com trajes de academia perguntando o que ele “achava” ele a ignorou mas eu não …fiquei com raiva do desrespeito ao momento que estamos vivendo e acabei discutindo online com a mesma que teve a audácia d falar que gravida a mulher não tá bonita .

Ora ora ora estou aqui com uma foto minha que até mandei pra ela mostrando não a minha bunda mas aquilo que estava mais evidente e bonito em mim…minha barriga  meus cabelos estão mais bonitos minha pele mais viçosa e não há nada que pague no mundo o que sinto quando meu bebê mexe …de raiva passei a ter pena do ser que menosprezou a melhor fase de uma mulher …a fase de ser Mãe …e não é recalque juro mas eu barriguda assim to ainda mais sensual que ela empinando a bunda bombada 

obs.: e meu amor me acha linda por que ele me diz todos os dias “você tá linda mamãe ” .

bjoss e aproveitem essa fase linda vocês também mamães  há já ia me esquecendo estou de 5 meses de pura gostosura ….



Leia Mais

31

Traição na gestação. Você perdoaria ?

Olá a todas!
Tenho lido muitos dos relatos aqui descritos, das mamães e suas experiências enquanto aguardam nossos tesouros. Gostaria de compartilhar com vocês a minha experiência também.
Tenho 27 anos e estou com 34 semanas de gestação, minha gatinha chega logo logo.
Sou casada há poucos meses (8), na verdade creio que engravidei na lua de mel, as datas batem, rsrs. Apesar de não ter planejado para este momento, fiquei feliz com a notícia, assim como meu marido, que sempre se mostrou um homem apaixonado e amoroso, fez questão de casar na igreja e fazermos festa, tudo o que tinha direito.
Descobri a gravidez logo depois do Ano Novo. Estava me dando super bem com meu marido, claro que com uma coisa ou outra que é normal no começo da convivência. Porém, lá pra final de fevereiro as coisas foram começando a ficar ruins.
Ele foi começando a fazer só o que importava para ele, fomos começando a brigar direto e percebi que o meu bem estar ou a minha opinião já não importavam tanto para ele.
Comecei a me sentir sozinha e me perguntar o que estava acontecendo com aquele homem, com que sempre me dei bem e passei os melhores momentos da minha vida. Ficava orando e buscando, fazendo de tudo e tentando ser compreensiva, ajudar, conversar, deixando todo meu orgulho para lá, visando a saúde de nosso casamento e passar o momento de espera da nossa filha da melhor maneira.
Foi então que ele começou a agir mais estranho, além das brigas ele começou a me dar presentes do nada, e por trabalhar de noite (eu trabalho de dia, expediente normal), chegando muito depois do horário normal, um dia chegou depois de eu ter ido trabalhar. Embora comecei a achar muito estranho, continuei com as orações e nao quis procurar pelo em ovo, pedi a Deus que se houvesse algo, viesse para mim.
E assim foi. Com 5 meses de gestação, um belo dia ele me ligou e disse que eu dormisse na casa dos meus pais (pois é mais perto do meu trabalho e eu descansaria mais), e insistiu de uma maneira absurdamente incomum. Achei muito estranho e depois do meu trabalho passei no bar onde ele trabalha, ele ficou surpreso e mesmo assim disfarçou bem. Fiquei la cerca de 30 minutos, cumprimentando e conversando com algumas pessoas que já conhecia, e uma menina, que nunca havia visto antes veio me cumprimentar com os olhos vermelhos de chorar. Fiquei encanada e minutos depois vi meu marido entregar um bilhete a ela. Me irritei mas mantive a classe, disse a ele que ia embora e avisei para que o que fosse que ele estivesse fazendo, que tivesse respeito por mim e pela filha que eu estava carregando. Ele disse que não tinha nada a ver e fui embora, orando e pedindo a Deus que não deixasse que eu fosse feita de boba, somente.
No outro dia contei a historia para minha irmã e fomos esperar, de madrugada, camufladas em um taxi, a saida dele. E foi assim que eu o vi, saindo e esperando aquela mesma menina que me cumprimentou com os olhos vermelhos, entrarem em um táxi e rumarem para um motel, um dos que iamos quando namorados.
Fiz questão de esperar saírem, ela fugida no carro do gerente do estabelecimento, ele com uma jaqueta cobrindo, saindo fugido em um táxi.
  Após isso, expliquei para minha chefe o ocorrido e pedi dois dias de descanso, para ir para o interior ficar com minha mãe.
Ele se desesperou, implorou perdão e etc. Eu dividida, entre o amor e o perdão e a raiva, a mágoa. Eu o perdoei de coração, mas descobri que semanas depois eles continuavam ficando.
Muita dor, muita angustia. E o amor e as recaídas entre tudo isso. Em uma de nossas conversas, onde ele pedia para voltar, eu disse que pensaria, se ele largasse o emprego, se mostrasse dedicação e mudanças. Ele fez.
Hoje, voltamos a morar juntos, estamos passando os últimos dias da gravidez e estou tentando. É difícil, a pessoa o persegue, ele mudou de telefone e sinceramente eu não quero me iludir. Lembro muitas vezes, mas penso muito mais em como Deus nos perdoa infinitamente, porque eu, uma reles humana errante julgaria e “crucificaria” um semelhante. Não estou justificando os erros do meu marido, apenas pensando racionalmente e fazendo o que eu gostaria que fizessem comigo.
Não sei se continuaremos juntos, não sei se um dia conseguirei esquecer completamente. O que busco agora é me cuidar e aproveitar os últimos dias da gravidez, preparando a chegada dela, que com certeza será o grande amor da minha vida!

Leia Mais

E quando o seu namorado fala para você abortar ?


Tenho 21 anos e hoje eu estou de 37 semanas de gestação.
Descobrir que estava grávida de um menino já com 15 semanas fui ao medico fazer um exame de rotina e deu uma alteração no meu exame de sangue, foi assim que descobrir.
Eu já estava com o pai do meu filho à três anos de namoro, um relacionamento de brigas mas éramos felizes mesmo vivendo brigando .
Quando fui contar pra ele que estava grávida , ele simplesmente me julgou, falou que eu estava louca que eu era uma maldita de ter feito isso com ele ,dele ter confiado em mim ,pois ele já era pai de uma menina e não poderia ter mais filhos por causa da condição financeira. Fiquei sem chão, porque pensei que ele ficaria feliz com a noticia alias era um menino.
 Ele me deu as opções e disse ou você escolhe ele ou eu. Como assim escolher entre vocês dois não tem como. Ele falou tem sim, compro o remédio para você abortar esse filho.
Confesso que ate pensei nisso, mas não poderia fazer isso mesmo amando do jeito que o amo ainda era um bebe que estava no meu ventre, presente de Deus.
Disse que fosse assim então a gente poderia mais continuar porque eu escolheria o meu filho.
Os dias se passaram, fui às consultas do pré- natal, e mesmo assim eu ia falando por mensagem com ele do nosso filho enviando foto das utras pensando q ele sei lá poderia mudar de idéia. Mas sempre me ignorando fingindo que eu não existia ,eu não poderia acreditar que aquele era o homem que eu estava a 3 anos .
Cada dia q eu acordava era uma agonia pois era só eu e meu filho nessa batalha diária ,graças a Deus meus pais me apoiaram estão muito felizes porque vão ser avós ,pelo menos isso né .
Certo dia eu mandei uma mensagem pra ele no celular falando se ele não queria escolher o nome do bebê,sabe o que ele me disse ? Escolher o nome de um filho que eu nem sei se é meu!!
Nossa isso foi o fim de tudo chorei quase dois dias sem parar foi muito triste escutar isso do homem que eu amava, a partir desse dia decidi nunca mais ligar nem mandar mensagem ,nem nada .
Foi assim q eu fiz passei um  mês sem dar noticias pra ele .Essa semana de manha quando eu acordei vi uma mensagem no meu celular assim : Nossa não lembra mais de mim não ? Que foi já me esqueceu ?
Nossa que sínico!! meu quando eu li essa mensagem sei lá, como que pode uma pessoa ser tão sínico assim!!!
Hoje graças a deus estou de 37 semanas e muito feliz de ter escolhido meu filho, pois mesmo ele não tendo nascido ainda é a única coisa que me deixa mais feliz nesse mundoo a cada chutindo dele. Não vejo a hora dele nascer  e  quanto o pai do meu filho me manda mensagem toda hora falando que se arrependeu.Mas quer sabe mandei ele ir se FUD**..
Vou ser muito feliz com meu pequeno príncipe meu maior tesouroo …

Leia Mais

1233

Fim de relacionamento na gravidez. E agora ?

Tenho 29 anos e estou grávida d 18 semanas, meu namorado me abandonou.

Estou desesperada, não sei qual caminho seguir. Já emagreci 8 kg, perdi totalmente a fome e a alegria de viver, todas as noites peço perdão pro meu filho por todo esse sofrimento q estou causando e prometo que no dia seguinte será melhor, mas é a mesma coisa, só tristeza.
 O pior é que eu amo o cara, mas ele disse que não sente mais nada por mim e que eu não tenho nada de bom pra oferecê-lo.
 Ele acha q não existe filho nenhum e diz que quando nascer vamos ver o que fazemos, diz q vai assumir as responsabilidades de pai, mas deixou bem claro que somente as financeiras. 
Quero forças pra continuar vivendo e cuidar do meu neném que ainda nem veio ao mundo e já sofre, mas está difícil, sou fraca demais e acho que tenho que ficar com ele.
Sempre pedi à Deus um filho, e agora grávida não estou sendo digna dele. 
Sei q não sou a única a passar por isso, mas não consigo entender porque comigo.
Preciso de forças, me ajudem por favor!!!!!!

Leia Mais

Neglig-C3-AAncia1

Mãe perde bebê por negligência medica, e agora passa por uma gravidez de risco.

Em março desse ano eu descobri que estava grávida, foi uma alegria, todos que nunca tinham nem sequer falado comigo vieram falar comigo, passavam a mão na minha barriga me deram as congratulações e tudo mais, o tempo foi passando e eu percebi que eu tinha cólicas muuuuito fortes, procurei meu obstetra e ele foi muito grosso comigo dizendo: “Isso é normal TODAS as grávidas tem”, “Mas doutor, as minhas são muito fortes”, “Ah, é normal, toma o remédio que passa”
Fiquei dois meses e 28 dias com dor e muita dor, no dia 4 de junho eu percebi que tinha uma manchinha amarronzada na minha calcinha liguei pro obstetra e ele me disse “Observa” ai eu fiquei observando, passou dia 4 e dia 5 com aquelas machinhas, dia 6 veio sangue de verdade, corri pra maternidade, cheguei lá as enfermeiras me atenderam, tentaram ouvir o coração do meu nenê e não conseguiram, disseram que era normal porque ele era muito pequeno e que pelo auscultador não dava pra ouvir mesmo, fiz o ultrassom transvaginal com o médico de plantão, ele também não conseguiu ouvir o coração do meu nenê e me garantiu que era normal porque ele era muito pequeno e não dava pra ouvir e eu chorava muito… 
Cheguei de manhã na maternidade e só a noite que o meu obstetra chegou de forma dura e seca: “Já te contaram?” e eu: “Contaram o que doutor?”, “Seu bebê está morto dentro de você faz 2 dias” eu chorei, foi uma tristeza que parecia que eu não ia suportar, meio marido me segurava porque minha vontade era de voar no pescoço daquele médico por me tratar daquele jeito, ele foi muito desumano, parecia que falava como se tivesse dizendo: ” ah, mais um” mas, pra mim não era apenas mais um, era uma parte de mim que tinha ido embora pra sempre, fiquei internada, tive que fazer curetagem.
Voltei pra casa como se tivesse perdido a noção de tudo, eu flutuava em meus pensamentos pensando em tudo que tinha acontecido… Eu conversei com o meu esposo, disse á ele que o médico deveria me tratar como única e não como mais uma, porque a minha gravidez era uma gravidez de risco porque eu sou epilética, mas não, ele me tratou como mais uma e eu perdi meu bem mais precioso…
E sabe aquelas pessoas que me adulavam? Sumiram todas, eu estava como em um vale sem ninguém para me abraçar, nem me confortar, até minha mãe falou coisas que estão guardadas no meu coração até hoje… Chegaram a dizer que eu tinha perdido o nenê por ter me casado grávida, que era castigo… Mas, sabe o que era o mais interessante é que eu engravidei com 6 meses de casada como que eu tinha casado grávida? São coisas que vão magoando e machucando cada vez mais, mas eu sempre dizia: “nem que eu for me arrastando, eu vou continuar servindo a Deus, porque ele não tem culpa pelo que estão falando… Muitos me perguntaram muitas coisas nessa época, me perguntaram porque que eu continuava indo à igreja sendo que Deus não me curava da minha epilepsia e Deus tinha tirado o meu filho de mim, e eu lhes respondia com um versículo bíblico: “O sol e a chuva vem tanto para o justo quanto para o ímpio” Isso quer dizer que coisas ruins acontecem com todos e por que comigo seria diferente? … Continuei minha caminhada dia a dia, sendo caluniada, pisoteada, magoada… E sozinha…
Você sabe que falta faz um abraço? Pois eu sei… Foram os piores dias da minha vida, os dias em que eu olhei para todos os lados e me vi sozinha, sem ninguém para me dar uma palavra amiga, nem para me abraçar, nem para orar por mim. Até que um dia uma irmã veio e me abraçou e eu chorei, chorei como nunca tinha chorado na vida, eu chorei tanto que comecei a soluçar, parecia uma criança, e ela me olhou bem nos olhos e disse que eu não estava sozinha…
Em julho uma moça da minha igreja disse que Deus estava me dando um presente, e nesse presente tinha uma criança e era a criança mais linda do mundo, em setembro eu descobri que estava grávida de novo, e eu prometi pra mim mesma que nunca mais voltaria naquele obstetra… Procurei outra, essa ao contrário dele, está me tratando da melhor forma possível, respeitando os meus riscos e condições, mas, ao completar o meu terceiro mês de gravidez uma terrível surpresa me aguardava, sangue na minha calcinha, eu pensei comigo: “Não Senhor, de novo não, eu não vou suportar perder de novo”, fui para a maternidade chorando que nem criança, porque pra mim o meu nenê estava morto já… Cheguei lá a enfermeira fez o exame de toque e me disse que o colo tava fechadinho, na hora que ela colocou o auscultador em mim eu já pude ouvir bem alto e bem forte tumtum tumtum tumtum ai que eu chorei de verdade, chorava que nem criança porque ele ainda estava ali e foi uma emoção que não tinha tamanho a enfermeira me disse que tava tudo bem que era só um vasinho que estourou que só era pra eu voltar caso aumentasse.
Voltei pra casa, à tardinha começou a vir muito sangue, e eu comecei a chorar de novo, pensei que ela tinha se enganado, que não era tão simples e eu estava certa, voltei à maternidade e o médico me internou, fez um ultrassom e constatou um ferimento na minha placenta que comprometia 30% dela, e ele me disse: “Mãe, você está com uma ameça de aborto, mas pode ficar tranquila porque não é nada grave, mas queira ou não é uma ameaça… Mas, eu não estou entendendo…. o colo do seu útero está fechado, a placenta está coladinha, o saco gestacional e o liquido aminótico e o bebê estão no tamanho e no jeito que era pra estar, ou seja, não há nada que explique esse sangramento na sua placenta… Não há uma causa específica, e você vai ter que ficar aqui até que nós tenhamos a certeza que você vai ficar bem, você vai ter que tomar medicações para segurar o nenê e parar o sangramento” e eu fiquei lá do sábado de tarde até domingo à noite internada, e ele me disse pra continuar com a medicação até que a minha obstetra mandasse parar… E eu continuo tomando até o dia de hoje, meu nenê está se desenvolvendo super bem … e o sangramento já parou, mas eu vou lhes dizer que não foi fácil, eu fiquei praticamente 1 mês sangrando direto e sem explicação, e era dias maus e dias bons, dias tranquilos e dias de muita dor, mas enquanto eu estiver ouvindo essa escola de samba dentro de mim eu vou estar feliz, e assim que o meu bebê nascer eu vou ter o prazer de dizer á vocês que mesmo diante a todas as dificuldades eu venci.
Maio o meu bebê estará aqui comigo … Peço para os que creem que continuem orando por mim e para os que não creem que torçam bastante, porque só quem perdeu sabe o quão doloroso é, e só quem perdeu 1 e está com ameaça de perder o 2º sabe a angustia e o medo que dá.
Obrigada página “A Gestante” por me deixar tirar essa angustia do peito
Abraço.

Leia Mais

post1

Mãe tenta abortar, mas se arrepende profundamente.

Olá, vejo sempre depoimentos aqui e gostaria de deixar o meu também.

Bom, tive um namoro breve, havia apenas dois meses que tinha começado a namorar um rapaz, eu com 19 anos e ele com 21, e já ate tínhamos terminado quando eu descobri que estava grávida.

Fiquei desesperada, apesar de sempre sonhar em ser mãe, mas não naquele momento, com aquela pessoa. Meu desespero foi tanto que cheguei a comprar o CYTOTEC,que é um remédio pra abortar, e sempre tentava tomar chá de canela, arruda, boldo mais não tinha coragem eu sempre desistia.

Sem contar pra ninguém, eu sofria sozinha porque achava que meus pais iriam me virar as costas. Quando resolvi contar para o pai da minha filha, ele tentou me obrigar a casar com ele, mas eu disse que não queria, e ele disse que iria à minha casa conversar cm meus pais.

Contei tudo pra minha mãe q contou pro meu pai! No começo meu pai me apoiou muito, pois eu estava muito depressiva, e passei alguns dias internada com muita infecção de urina, emagreci demais, quase perdi a minha filha por causa da infecção. Mas quando eu melhorei ele começou a me maltratar, a me mandar embora de casa, a me falar coisas horríveis, ele me dizia que a decepção dele era ter uma filha mãe solteira, a gente discutia muito, e eu me descontrolava

Eu não me sentia mãe ainda, morria de ódio da cara do pai dela, me exclui de todo mundo, só tinha do meu lado mesmo a minha mãe, que nunca jogou na minha cara, e sempre me apoiou e cuidou de mim e da minha filha e enfrentou a tudo e a todos por causa de nós.

Quando minha filha mexeu pela primeira vez na minha barriga, foi com se eu tivesse levado uma chacoalhada do mundo! Foi aí que me senti mãe de verdade, e passei a amar loucamente minha filha. A dor se transformou em alegria, ansiedade e prazer em todos os detalhes de cada fase da espera por ela

Hoje a Alice esta aqui, linda, cheia de saúde e me faz sentir a pessoa mais importante do mundo. Não casei, continuo sendo mãe solteira, mas somos a alegria da casa e por incrível que pareça, a Alice é o xodó do meu pai.

A minha mãe guardou o remédio que eu comprei pra abortar, e mexendo nas coisas dela eu encontrei e me deu um aperto no meu peito. Olhei pra minha pequena deitada e pensei que se eu tivesse feito essa burrada não iria ter tido o prazer de ser mãe dessa criança tão linda que é a Alice, e aprendi que ”erros” não se concertam com outro erro, e que ser uma mãe e ser mãe é algo divino!

Leia Mais