Governo proíbe propaganda de alimentos infantis, para incentivar a amamentação!

blog-gestante-aleitamento

A partir de novembro de 2016, uma no após a publicação do decreto, não será mais permitida publicidade de produtos como papinhas, leites artificiais e até mesmo de mamadeiras. O decreto visa incentivar a amamentação eliminando propagandas de alimentos que sejam prejudiciais a este fim.

O decreto restringe ainda descontos e promoções deste tipo de alimento em supermercados. Não serão permitidas embalagens com fotos, desenhos e outros que induzam a utilização.
As embalagens terão que ser ainda mais específicas sobre idade correta para consumo, destaque sobre risco da má utilização e instruções para uso correto.

A legislação também determina que no caso de chupetas, mamadeiras e bicos, sejam informados os prejuízos ao aleitamento materno. “Também é proibida a atuação de representantes comerciais nas unidades de saúde, salvo para a comunicação de aspectos técnico-científicos dos produtos aos pediatras e nutricionistas”.

O Decreto 8.552/2015, que regulamenta a Lei 11.265/2006, foi assinado no dia 3 pela presidente Dilma Rousseff na 5ª edição da Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Leia Mais

Mãe cancela consulta após médico dizer que seu filho é “cheio de manias” porque mama sob demanda

amamentacao-um-lado-so

Marília Borges mora em Brasília, tem 23 anos é enfermeira e mãe de um menino de poucos meses.

Nesta semana, ela levou o filho para uma consulta de rotina a um pediatra, Enquanto ela esperava na sala de espera do consultório o bebê sentiu fome e ela prontamente cedeu o peito. Marília foi chamada para a consulta e entrou no consultório médico amamentando seu filho, assim que entrou, para sua surpresa, algo aconteceu:

“Entrei no consultório do pediatra amamentando, antes do bom dia ele falou:

_ Por que esse menino ta mamando?

_ Porque ele estava resmungando de fome.

_ Quando foi a última hora que ele mamou?

_ Há uns 30min.

_ Por isso não gosto de criança de outros médicos, chega aqui cheios de mania!”.

“Não fizemos a consulta”, escreveu Marília em seu perfil no Facebook.

Marília afirmou em seu post que entendo a importância e os benefícios que aleitamento materno fornece ao seu filho e que a “A postura do médico me constrangeu, me machucou e ainda que de leve, me senti insegura como se eu estivesse fazendo algo de errado…”, escreveu Marília.

A enfermeira afirma que não irá mudar sua forma de conduzir a amamentação do filho.

A experiência de Marina não é isolada e várias mães passam por isso em seu dia a dia, até mesmo com os famosos pitacos de pessoas da família ou mesmo estranhos.

A dica é: Desenvolva uma relação de confiança com o pediatra para se sentir confortável. Procure um médico em com o qual você se sinta bem e a relação por si só será harmoniosa.

Leia Mais

Mãe que amamenta filho de 3 anos usa redes sociais para desabafar sobre o preconceito!

jade-beall-amamentando-filho-agestante-blog

A britânica Jade Beall usou o Facebook para postar um manifesto em que externa sua preocupação e desabafa sobre sua decisão de ainda amamentar o filho de 3 anos e meio e sobre o preconceito que sofre com sua decisão.

Por incrível que pareça Jade não é a única a sentir o peso do preconceito. Mesmo hoje, em que as campanhas pró amamentação são presentes, extensas e atingem cada vez mais pessoas, muitas mães se sentem incomodadas com os olhares discriminativos que sofrem ao oferecer o peito aos filhos em locais públicos e as reclamações e constrangimentos são constantes por parte das mães.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que os bebês se alimentem exclusivamente de leite materno até os 6 meses e que após esse período continuem mamando até pelos menos os dois anos de vida. A britânica Jade resolveu ir além, em uma decisão que só cabe a ela e sua família e continuou amamentando seu filho após o período recomendado.

Abaixo você pode ler na íntegra o desabafo de Jade.
“Autorretrato tirado hoje com meu filho. Existem muitas maneiras em que a amamentação precisa ser vista como algo normal. Para mim, agora, precisamos normalizar o aleitamento estendido, em livre demanda, com desmame guiado pela criança, com meu filho de 3 anos e meio. Admito que nunca mais amamentei meu filho em público. Sinto como se estivesse cometendo um crime, quando tudo o que estou fazendo é providenciar conforto e nutrição para o meu filho. Vejo que com o meu desconforto em amamentar meu filho em público nos últimos dias existe uma maneira completamente nova de promover e apoiar o feminismo.

Ainda tenho leite, ele ainda quer o seu “nah nah”, como ele chama o leite, e nada, absolutamente nada o acalma de maneira melhor… Tentei desmamá-lo várias vezes e, finalmente, me rendi e passei a deixar fluir meu relacionamento com o meu filho.

Se isso te ofende, me questione, antes de me xingar. Vamos aprender uns com os outros. Vamos nos livrar do medo das diferenças e nos encher de curiosidade e compaixão!

* Meu filho come normalmente. Amamentar é mais um suplemento a esse ponto e muito reconfortante para ele.

* Minha mãe me amamentou até eu completar 5 anos e eu ficaria muito orgulhosa se ela compartilhasse esse comprometimento comifo, se houvesse mídia social lá atrás, nos anos 1980, e eu cresci e me tornei uma mulher bonita e incrível, feminista, que ama seus pais.”

Leia Mais

53da640ace2196a75abae2c2c36ed5d5

5 mitos sobre amamentação

53da640ace2196a75abae2c2c36ed5d5

A amamentação é uma das maiores preocupações das futuras mamães. Milhares de perguntas surgem e na maioria das vezes você acaba criando monstros na sua cabeça e a realidade é que muitos mitos não passam disso mesmo, mitos.

Vamos desmitificar alguns deles agora mesmo:

1: Amamentar faz o peito cair?

Esqueça, não é a amamentação que faz com seu peito caia. A genética é a grande responsável por essa modificação dos seios. Se sua mãe ficou com os seios flácidos após a gestação você tem mais chances de também ficar. Outro fator que influencia nesta questão é o numero de gestações. Quanto mais gestações você tiver, mais a sua pela vai esticar e o processo de voltar para o lugar após o período de amamentação fica prejudicado.

2: Amamentar dói?

Não. E se estiver doendo é porque há algo errado e os motivos podem ser diversos. Nas duas primeiras semana é comum sentir um desconforto no mamilo, mas nunca uma dor insuportável. Ainda no hospital, peça auxílio das enfermeiras caso você esteja sentindo dor, elas irão avaliar a “pega” do bebê e outros fatores que podem estar levando o ato de amamentar a ser uma tortura e não um prazer para você.

3: O que é a “pega” certa que todo mundo fala?

A pega correta é quando o bebê abocanha toda a sua aureola, de boca bem aberta, com o lábio inferior virado para fora e o queixo tocando a mama.

4: Consumir café durante a amamentação deixa o bebê agitado?

Fato comprovado e não é só o café. Alimentos como chocolate, chá preto, chimarrão e chá verde devem ser evitados pelas mamães que amamentam.

5: Devo lavar os seios antes de cada mamada?

Não e além disso você deve evitar passar produtos que possam ressecar o mamilo. Sabonetes e cremes são proibidos e não é recomendado que você esfregue o mamilo na toalha e nem que passe esponjas ou buchas. Deixe-os naturais e conte com o próprio leite para lubrificar a área e hidratar.

Leia Mais

amamentacao2

ESPECIAL DE PÁSCOA: Quem está amamentando pode comer chocolate?

amamentacao2

A páscoa chegou e com ela a dúvida: Mamães que estão amamentando podem comer chocolate sem culpa?

Podem sim. Claro que, sem exageros e observando o comportamento do bebê.

A recomendação, segundo especialistas, é que você não ingira mais que 400gr por dia. Pois após essa quantidade pode haver problemas de irritabilidade, agitação e cólicas no bebê.
E não fique pensando que 400gr é pouco não! Essa quantidade equivale a 2 barras grandes.

Vamos apenas lembrar que os comportamentos mudam de criança para criança, por isso o mais importante é fazer testes de consumo. Comece com um pedacinho e vá observando as reações do bebê a cada mamada. Vá aumentando aos poucos até chega na quantidade que você considera ideal para seu consumo. Se o bebê não apresentar nenhum tipo de “efeito colateral”, pode comer sem preocupações.

Mas tem uma dica que pode parecer bobagem, mas funciona: Nunca coma chocolate de estomago vazio. Procure fazer uso da guloseima após as refeições, como sobremesa e se possível e for do seu gosto, opte pelos chocolates amargos ou meio amargos.

Leia Mais

shutterstock_1186675001

Dicas para manter a beleza dos seios durante e depois da gravidez

A amamentação é um momento único de entrega, amor e carinho. A sensação de prover alimento para o bebê é uma poderosa fonte de afeto.
O seu leite é rico e necessário para a saúde do bebê, porém, estrias, flacidez e dores podem acompanhar este sonho. Por isso que é tão importante que você prepare as mamas para todas as mudanças que elas irão enfrentar durante e após a gravidez.

O aumento do hormônios durante a gravidez provoca o crescimento e a ramificação do sistema de dutos mamários, aumentando os seios e isso pode causar saliência e ressecamento dos mamilos e aparecimento de estrias que são causadas pelo rompimento das fibras de colágeno e elastina.
Por isso é indicado que o tratamento dos seios aconteça antes mesmo da gravidez.
Antes da Gravidez:
  • Utilize cremes especiais para hidratação da pele da região das mamas, mas evite passar hidratantes nas aureolas e mamilos. Prefira cremes especificos para essa região e consulte um dermatologista para que ele indique qual creme é apropriado para você;
  •  Alimentos ricos em licopeno (como o tomate), biotina (presente na carne vermelha, nos ovos e nos grãos) e vitamina C (como as frutas cítricas), contribui para obter uma pele mais firme.;
  • Exercícios físicos também são bem vindos para definição da musculatura e prevenção da flacidez.
Durante a Gravidez
  • Sutiãs especiais são indispensáveis para este momento. Eles precisam ter alto grau de sustentação para que seus seios e costas fiquem protegidos do peso que suas mamas certamente irão adquirir durante a gestação. Além disso, futuramente você vai agradecer ter comprados sutiãs especifícos para gestante, pois eles normalmente já vem com aberturas para facilitar a amamentação;
  • Banho de sol não é mito e ajuda muito, pois fortalece a pele evitando fissuras no mamilo. Deixe os seios a mostra no sol, sempre antes das 10h e após as 16h, durante 15 minutos por dia. Sempre com filtro solar.
 Depois da gravidez
  • Garanta que o bebê tem uma “pega” correta. A boca do bebê deve envolver toda a auréola sugando o mamilo de forma ampla, isso é o primeiro passo para que você não tenha dores ao amamentar;
  • Continue usando os sutiãs especiais, não só pelos motivos citados acima, mas principalmente por eles proporcionarem a pressão necessária para evitar o ingurgitamento, o famoso leite empedrado;
  • Os cremes devem ser evitados durante a amamentação, a não ser que tenham sido liberados pelo obstetra e ou pediatra;
  • Depois que o bebê terminar de mamar, passe um pouco do leite que escorre do bico em cima dos mamilos e da auréola, isso ajuda a hidratar a região
  • Se você ficou com estrias ou flacidez após a gravidez e a amamentação procure um dermatologista o quanto antes. Hoje existem tratamntos avançados para estes problemas, mas não esqueça que a preparção das mamas é essencial para que o estrago não seja ainda maior.

A loja virtual da A Gestante tem produtos especiais para amamentação. Entre na nossa sessão de amamentação e confira. Clique AQUI!

Leia Mais

shutterstock_831090251

Como saber se o bebê está satisfeito depois de mamar?

Você tem a nítida sensação de que seu filho está SEMPRE com fome. Nas primeiras semanas de vida isso é uma realidade, ele está sempre com fome, mesmo.

Você precisa saber que o leite materno é digerido muito rápido e como o bebê mama pouco ade cada vez, ele precisa mamar muitas vezes por dia para se satisfazer.

 A maioria dos bebês mama de 8 a 15 vezes em um só dia durante a primeira semana de vida e após isso estabiliza entre 6 a 8 mamadas por dia contabilizando uma mamada a cada 3 ou 4 horas.
Para você saber se seu filho está ficando saciado com as mamadas é preciso levar alguns aspectos em consideração, são eles:
  • O bebê mama de 6 a 8 vezes por dia nas primeiras 3 semanas de vida;
  • O bebê realmente engole o leite enquanto mama;
  • O bebê relaxa após a mamada;
  • Seios ficam esvaziados e macios após o termino da mamada;
  • O bebê tem urina clara e sem cheiro;
  • O bebê enche de xixi no mínimo 6 fraldas descartáveis por dia;
  • O cocô do bebê tem um tom de amarelo mostarda, ou mais claro após a primeira semana de vida.
O tempo de intervalo entre uma mamada e outra ou o tempo em que o pequeno fica no peito mamando não são indicadores confiáveis de que ele está ou não mamando suficientemente, pois variam de criança para criança.

Leia Mais

colostrosaudedobebe1

É normal vazar leite dos seios durante a gravidez?

Sim, totalmente normal e não há com o que se preocupar. 

Este “leite” na verdade é um líquido chamado colostro que é produzido antes do leite em si. O colostro passa a ser produzido a partir da 16ª semana de gestação e tem uma consistência meio viscosa e cor amarelada.

 

O vazamento das mamas é algo irregular, sendo que em algumas mulheres é constante e em outra praticamente não acontece.

Vazar ou não vazar leite nada tem há ver com o leite que irá descer depois que o bebê nascer.

Algumas mulheres se queixam desses vazamentos pois isso pode ser um pouco constrangedor na hora das relações sexuais, mas o importante é se preparar para isso e deixar os seio fora do jogo por algum tempo, se for o caso.

Use absorventes específicos para seios dentro do sutiã e evite manchas no sutiã, rodelas molhadas nas roupas. Troque regularmente o absorvente para evitar cheiro.

Se você não teve nenhum vazamento durante a gravidez, não se preocupe, pois isso também é perfeitamente normal. O colostro irá descer algumas horas após o parto, pode ficar tranqüila.

Leia Mais

amamentacao-1024x8331

Posições para amamentar

Antes de começar as explicar as posições para amamentar é importante deixar claro que não existe certo ou errado, apenas posições que deixam o bebê e a mãe comprovadamente mais confortáveis. Outro ponto a ser levado em consideração é a pega do bebê, as posições sobre as quais vamos falar facilitam que o bebê consiga ter uma pega mais completa e correta.

As posições são:

Deitada
Você fica deitada e o bebê fica paralelo ao seu corpo. Esta posição é muito confortável, porem você deve se certificar de que não está com sono, pois adormecer neste momento pode ser perigoso.

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Barriga com Barriga
Na posição de “ninar”, você apóia o braço por baixo do corpo do bebê encostando a barriga dele na sua.

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Apoio com braço contrário
Você utiliza o braço contrário a mama para apoiar o corpo do bebê.

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Ao lado do corpo
Posição para quem usa um apoio ou almofada de amamentação, você coloca o bebê embaixo do braço, na lateral do seu corpo, apoia o corpo dele na almofada e oferece o seio.

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Cavalinho
Posição muito prática se você está na rua, consiste em apoiar o bebê na sua perna com as pernas dele abertas em cima da sua, como se você estive brincando de cavalinho. Segure a cabeça do bebê com uma mão e as costas com a outra.

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Algumas questões importantes:

  • Amamentar não deve doer então você já sabe, se a dor é muito forte, aproveite a próxima consulta com o médico ou pediatra e mostre a ele como o bebê mama, ele vai avaliar a pegada e mais alguns fatores que podem estar causando este desconforto.
  • O bico do seio tem uma auréola ao seu redor, para a pega do bebê ser perfeita ele deve envolver com sua boquinha quase toda a auréola.
  • Não se assuste se seus seios são pequenos ou grandes, a produção de leite não tem nada a ver com o tamanho dos seios.

Leia Mais